Na Globo, Arnaldo Jabor desrespeita soberania e povo venezuelano

Na Globo, Arnaldo Jabor desrespeita soberania e povo venezuelano

O presidente Hugo Chávez se encontra em tratamento em Havana devido a um câncer na região pélvica

O presidente Hugo Chávez se encontra em tratamento em Havana devido a um câncer na região pélvica

São diversos os absurdos usados pelo cineasta. Primeiramente ele deslegitima o processo de votação por meio do qual os venezuelanos elegeram Chávez pela terceira vez e relata que “os governos estaduais estão tomados pelo chavismo”, como se estes também não tivessem sido eleitos pelo povo. Assim, vale-se de um jogo de palavras para dizer que o voto dos venezuelanos vale menos que o de países “democráticos” porque lá o que existe é o “populismo do século 21” e a “ignorância popular” que mantêm Chávez no poder.

Em uma mostra de total desconhecimento da realidade venezuelana, ele cita informações inverossímeis de que o chavismo utiliza-se da fórmula miséria + analfabetismo político para mascarar os problemas da revolução. A própria FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, na sigla em inglês) revela que a Venezuela atingiu uma das metas do milênio estabelecidas pela organização e reduziu em 50% a proporção de pessoas em pobreza extrema, eliminou o analfabetismo e é o quinto país no mundo com maior taxa de matrícula de estudantes universitários (83%), de acordo com informe da Unesco.

Não é de se estranhar que o mesmo Jabor, em 11 de abril de 2001, quando a Venezuela sofreu um golpe de Estado, tenha aparecido na mesma Rede Globo com um cacho de bananas celebrando o evento. Segue a íntegra da nota da embaixada:

Além de desrespeitar os venezuelanos, povo irmão do Brasil, e de proferir acusações sem base nos fatos reais, o comentário de Arnaldo Jabor nesta quinta-feira, 10 de janeiro, no Jornal da Globo, demonstra total desconhecimento sobre a realidade de nosso país.

Existe hoje na Venezuela, graças à decisão de um povo que escolheu ser soberano, um sistema político democrático participativo com amplo respaldo popular, comprovado pela alta participação da população toda vez que é convocada a votar em candidatos a governantes ou a decidir sobre temas importantes para o país. Desde que Hugo Chávez chegou ao poder, o governo já se submeteu a 16 processos democráticos de consulta popular – entre referendos, eleições ou plebiscitos.

Não nos parece ignorante ou despolitizado um povo que opta por dar continuidade a um projeto político que diminuiu a pobreza extrema pela metade, erradicou o analfabetismo, democratizou o acesso aos meios de comunicação e que combina crescimento econômico com distribuição de renda. Esse povo consciente de seus direitos não se deixa manipular pelas mentiras veiculadas por um setor da mídia corporativa – essa que circula livremente também na Venezuela.

Considerando o alto grau de organização e conscientização da população venezuelana, não são nada menos do que absurdas as acusações feitas por Jabor da existência de um aparato repressor contra o livre pensamento. Na Venezuela, civis e militares caminham juntos no objetivo de garantir a defesa, a segurança e o desenvolvimento da nação. É importante lembrar que se trata do mesmo comentarista que em 11 de abril de 2002, quando a Venezuela sofreu um golpe de Estado que sequestrou seu presidente durante 48 horas, saudou e comemorou este ato antidemocrático, durante comentário feito na mesma emissora, a Rede Globo.

Embaixada da República Bolivariana da Venezuela

Enhanced by Zemanta