Venezuela é o país com maior igualdade de gênero da AL

Venezuela é o país com maior igualdade de gênero da AL

Neste 25 de novembro, movimentos sociais de todo o mundo fazem um apelo pelo fim da violência contra a mulher. Atualmente, 35% das pessoas de sexo feminino no mundo são ou já foram vítimas de violência física ou sexual. No tocante à igualdade de gênero, entre os países latino-americanos, o Brasil ostenta o pior índice, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Latinbarômetro. A Venezuela, por sua vez, é apontada como o país com maior igualdade.

Por Vanessa Silva

Nos próximos 16 dias serão realizados atos e marchas em diversos países da América Latina e do mundo pelo fim da violência contra a mulher. As atividades se encerram em 10 de dezembro, dia dos Direitos Humanos.

Os dados realmente assustam: de acordo com a ONU, 70% das mulheres sofrerão algum tipo de violência no decorrer de suas vidas. Entre 500 mil e 2 milhões de pessoas são vítimas todos os anos do tráfico de pessoas. Destas, 80% são mulheres, o que leva muitas à prostituição, à realização de trabalhos forçados à escravidão ou servidão. Estima-se que atualmente existam 130 milhões de mulheres e meninas que foram vítimas de mutilação ou ablação genital.

Igualdade entre os gêneros

A responsável da ONU pelos Direitos Humanos, Navi Pillay, ressaltou, nesta segunda-feira (25), que “os estereótipos de gênero ajudam a perpetuar um clima em que a violência contra as mulheres é considerada aceitável ou merecida”.

Pillay pontuou que “a violência contra mulheres e meninas tem sido perpetuada por séculos de dominação masculina e discriminação de gênero, uma violência enraizada nas normas profundamente arraigadas na sociedade”.

“A violência contra as mulheres é inaceitável”, disse Pillay, ao pedir aos países que garantam seus sistemas de justiça penal “livres de preconceito de gênero em todas as fases de processo, investigação, acusação, interrogatório, com proteção das vítimas e testemunhas, e o pronunciamento das sentenças”.

postal-fte

Longo caminho

De acordo com dados do Latinbarômetro de 2011, que ouviu cerca de 1200 pessoas de 18 países latino-americanos — Cuba não consta no levantamento — a Venezuela é o país onde os entrevistados mais apontaram haver igualdade entre homens e mulheres. Para 19,2% dos consultados, este direito é completamente garantido no país, enquanto para 11,6% não é “nem um pouco considerado”. O país bolivariano é seguido por Nicarágua, com 35,9% de declarações neste sentido e Costa Rica, com 35,5%.

Na outra ponta está o Brasil. O gigante sul-americano ainda não conseguiu atingir a igualdade entre gênero. O questionamento feito a 1204 pessoas apontou que apenas 10,2% dos brasileiros consideram que a igualdade entre homens e mulheres “é completamente garantida” e 18,9% a considera “nem um pouco garantida”. Após o Brasil, aparecem a Bolívia com 13,4% e o Chile, com 14,6%.

Fonte: Latinbarômetro

Fonte: Latinbarômetro

Ativismo:

É possível acompanhar as atividades e datas de mobilizações em diversos países no site: http://16dayscwgl.rutgers.edu/campaign-calendar/events. Neste período será usada a hastag #16days tanto no Twitter como no Facebook para promover o ativismo.